Exercício

PRE-HISTORIA DO BRASIL

Novas datas

Descobertas feitas em sítios arqueológicos de São Raimundo Nonato, no Piauí, mostram que a América foi habitada por seres humanos bem antes do que se pensava.

As descobertas dos sítios arqueológicos de São Raimundo Nonato, no Piauí, contestam a origem e a data da presença do homem na América, No Parque Nacional da Serra da Capivara encontraram-se vestígios de que o homem habitava a região há pelo menos 50 mil anos. As descobertas colocam em dúvida os pressupostos, até há pouco aceitos internacionalmente, de que o homem tenha chegado à América pelo Estreito de Behring, e contestam a hipótese de presença humana no Continente há ape­nas 12 mil anos.

As pesquisas começaram em 1973, três anos depois de, já estabelecida na França como professora da Escola de Altos Es­tudos em Ciências Sociais, vir ao Brasil para examinar sítios ar­queológicos dos quais me haviam sido mostradas fotos, em 1963, pelo então prefeito de São Raimundo Nonato, Gaspar Ferreira. Em Paris, com as fotos das pinturas rupestres da região, conse­guimos que o Centro Nacional de Pesquisa Científica, do gover­no francês, financiasse um projeto de exploração científica da área.

A primeira expedição foi organizada em 1973, com a colaboração de especialistas do Museu Paulista da Universidade de São Paulo. Em três meses foi possível levantar 55 abrigos na­turais. Visitas sucessivas se realizaram até 1978, quando foi criada a Missão Arqueológica Franco-Brasileira do Piauí, com oito es­pecialistas franceses e 14 brasileiros, de áreas diversas. A missão, financiada em parte pelo Ministério de Relações Exteriores da França e pela Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais e, pela parte do Brasil, pela Fundação Ford do Brasil, pelo CNPq e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), tornou-se interdisciplinar e conta, atualmente, com 32 especialistas.

Logo após, em 1979, conseguimos que fosse criado o Parque Nacional da Serra da Capivara, o único da caatinga do Pás, através de convênio com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Com o tempo, o volume de trabalho e número de membros da equipe crescendo, criamos a Fundação Museu do Homem Americano, que hoje nos ampara nas pesquisas, junto com a Terra Nova, 

uma instituição italiana de desenvolvimento. Mas estamos bus­cando o auxílio de outras instituições para prosseguirmos com as pesquisas.

Comprovada a presença do homem no Piauí há 50 mil anos, o que ainda não se sabe, mas será estudado, é se as popula­ções pré-históricas de São Raimundo Nonato chegaram ao conti­nente sul-americano pelo mar, ou se vieram do norte, passando pela América Central. Que os homens pré-históricos foram capa­zes de navegar não é novidade, pois foi com uso de embarcações que chegaram à Austrália há 70 mil anos.

Desde o início das pesquisas temos sido contestados por céticos, para os quais a teoria da chegada do homem à América pelo Estreito de Behring não admite dúvidas. Por outro lado, recebemos o apoio de um grupo de arqueólogos que defendem a revisão da teoria de Behring e entendem que o homem chegou à América muito antes do que se pensa – numa clara aceitação das conclusões das nossas datações, que fornecem resultados mais antigos que aqueles obtidos na América do Norte.

Hoje, graças ao trabalho desenvolvido em São Raimundo Nonato, a maioria dos americanistas já não duvida de que o ho­mem tenha chegado à América do Sul há, pelo menos, cerca de 70 mil anos.

(Niède Guidon. Jornal da Tarde, 11/12/93)

  1. Por que as descobertas feitas em São
    Raimundo Nonato são importantes?
  2. Quando tiveram início e como se
    desenvolveram as pesquisas no Piauí?
  3. O que ainda não se sabe sobre a chegada
    das populações pré-históricas ao continente
    sul-americano?

Exercício

COMO SE CONTA O TEMPO

Neste texto o autor explica o que é um calendário e mostra a origem das principais medidas de tempo.

O calendário

O que é um calendário? É o conjunto de regras usadas por um povo para dividir o tempo em períodos mais ou menos longos. E se chama assim porque as calmdascnm, para os roma­nos, o primeiro dia do mês.

Todos os povos da Terra, antigos e modernos, percebe­ram que a medida mais simples do tempo era o dia. (…)

Os povos pastores, observando a Lua durante as longas noites passadas a céu aberto, perceberam que esta mudava conti­nuamente, ora minguando, ora crescendo, de tal forma que só após 28 dias retornava à forma primitiva: e chamaram mêsi du­ração deste fenômeno. Este período podia ser dividido em qua­tro fases (lua cheia, lua minguante, lua nova e lua crescente): cada fase durava cerca de sete dias. E eis a semana.

Os povos agricultores passaram a observar, em vez da Lua, o Sol, que iluminava e aquecia os seus campos. E viram que o Sol tornava a surgir e a se esconder em dado ponto do horizonte depois de 365 dias. Chamaram a este período de ano, dividiram-no em quatro estações de igual duração, relacionan­do cada estação com determinados trabalhos no campo.

Não foi fácil para os povos da Antigüidade fazer concor­dar o calendário solar com o lunar; os doze meses lunares, juntos, não davam más que 336 dias. Alongaram os meses de dois ou três dias cada um para chegar aos 365 dias; foi assim que esses passaram a não corresponder mais ao ciclo lunar.

O calendário que hoje utilizamos surgiu no tempo de Júlio César (101-44 a.C.) e teve uma pequena correção no tem­po do papa Gregório XIII, no ano de 1582. Por esse motivo, o nosso calendário denomina-se gregoriano.

(Traduzido e adaptado de: D’ERIL, F. M. II mondo di ieri. v. 1. Milão, Antônio Valhardi Editore, s/d, f. 16)

QUESTÕES SOBRE O TEXTO

  1. O que é um calendário?
  2. Qual a origem do nome calendário?
  3. Qual era a medida mais simples do tempo?
  4. Quem estabeleceu as medidas de tempo
    denominadas mês e semana? Em que se
    basearam para estabelecer essas medidas?
  5. O que fizeram os povos da Antigüidade
    para fazer concordar o calendário solar com
    o calendário lunar?
  6. Quem estabeleceu a medida de tempo
    denominada ano? Em que se basearam para
    estabelecer tal medida?
  7. Quando surgiu o calendário que hoje
    utilizamos?
  8. Por que o nosso calendário denomina-se
    gregoriano?

Exercícios de revisão

1-  EEM-SP) Com a chegada a família real, o Brasil deixou praticamente de ser uma colônia. Isso lhe garantia um processo de independência singular. Explique-o.

2 – O que ocasionou a aliança entre os proprietários rurais brasileiros e a burguesia inglesa?

3 – Resuma a política econômica do governo joanino no Brasil.

4 -Qual o significado histórico da abertura dos portos, firmada pela carta regia de 1808?

5 -Relacione a revolução Liberal do Porto com o processo de independência do Brasil.

6 -Identifique as diversas classes que compunham o Partido Brasileiro e os setores  por elas repre­sentados.

7 -Sintetize os principais acontecimentos da regência de D. Pedro (1821-2).

8. (Fuvest-SP) “O certo é que se os marcos cronológicos com que os historiadores assinalaal evolução social e política dos povos não se estribassem unicamente nos caracteres externai formais dos fatos, mas refletissem a sua significação íntima, a independência brasileira st antedatada de 14 anos…” (Caio Prado Júnior, Evolução política do Brasil e outros estudos.)^

a)        Qual o fato histórico acontecido 14 anos antes?

b)       Qual a “significação íntima” do referido fato?

9 (Fuvest-SP) A vinda da família real ao Brasil está diretamente ligada ao seguinte episódio:

a)        a adesão portuguesa ao Bloqueio Continental decretado por Napoleão.

b)   o desafio de Portugal ao decreto napoleônico do Bloqueio Continental e sua aliança i Inglaterra.

c)   a habilidade diplomática de D. João que fez aliança com a França e a Inglaterra para i  Europa em guerra.

 

d) O apoio português às tropas franco-hispânicas para evitar as guerras de independência

e) a articulação entre os fazendeiros de café do vale do Paraíba e as Cortes portuguesas pin independência do Brasil.

10 (UESC) Dentre as forças socioeconômicas que resistiram à emancipação política do Br
pode-se citar:

a)        O clero liberal português.

b)       A burguesia comercial portuguesa.

c)        A elite agrária e escravista brasileira.

d)   Os traficantes de escravos luso-brasileiros.

e)        A burguesia comercial e industrial européia.

 11 (FGV-SP) A criação da Província Cisplatina foi um resultado da política externa:

a)        de D. Pedro I                                                   d) da Regência Trina

b)   de D. João VI                                                   e) de D. Pedro II

c)        do Regente Feijó

12 (PUC-SP) Na história brasileira, a independência, em 1822, não significou alteração qualit
vá do sistema social. Isto porque:

a)        apesar do rompimento com Portugal, não foi proibida a vinda de imigrantes

b)       as relações comerciais com a Inglaterra permitiram a substituição de importações

c)        a exploração dos escravos não foi reconhecida como crime contra a pessoa

d)   o rompimento com a metrópole permitiu legislação favorável à distribuição de terras

e)        a organização do trabalho persistiu baseada no braço escravo

13  (Fatec-SP) Apesar da liberdade para a instalação de indústrias manufatureiras no Brasil, i
tada por D. João, através de alvará, datado de l2 de abril de 1808, estas não se desenvolv
Isto se deveu, entre outras razões, à:

a)        impossibilidade de competir com produtos manufaturados provenientes dos Estados
dos, que dominavam o mercado consumidor interno

b)       impossibilidade de escoamento da produção da colônia, uma vez que Portugal, interme
rio entre a colônia e a Europa, estava ocupado pelos franceses.

c)   canalização de todos os recursos para a lucrativa lavoura cafeeira, não havendo, por parte dos
latifundiários, interesse em investir na indústria.

d)   concorrência dos produtos ingleses, que gozavam de privilégios especiais no mercado brasi­leiro.

e)        dificuldade de obtenção de matéria-prima (algodão) na Europa, aliada à impossibilidade de produzi-la no Brasil.

14 (Fuvest-SP) A atuação da Inglaterra no processo de emancipação política do Brasil tinha por objetivo:

a)        dividir com os portugueses os lucros do comércio de escravos.

b)   garantir a manutenção dos interesses comerciais ingleses no país.

c)   organizar uma república parlamentar, constituída de províncias autônomas.

d)       implantar no Brasil núcleos coloniais de população inglesa.

e)   anular os termos estabelecidos no tratado de Methuen.

Exercícios de revisão

1-Quais fatores desencadearam o processo de expansão marítima na Europa?

2.  Como se explica o pioneirismo português nas grandes navegações?

3.  Por que o regime monárquico português recebia apoio tanto da burguesia como da nobreza,
com relação à expansão marítima?

4.  Explique a diferença entre o sistema de feitorias e o de colonização.

5.  Por que foram estabelecidos tratados sobre as terras do Novo Mundo? Quais os principais trata­
dos, quando foram elaborados e o que determinavam?

6.  Resuma as principais características do modo de vida dos índios brasileiros na época do descobrimento.

7 -Observe o mapa ao lado. É uma peça de cartografia produzida por Henricus Martellus, no final do sécu­lo XV. O que você poderia concluir sobre o mundo conhecido pelos europeus até esse período e a impor­tância das grandes navega­ções?

 amalia

 

8 (Fuvest-SP) Sobre o tratado de Tordesilhas, assinado em 7 de junho de 1494, pode-se afirmar
que objetivava

a)        demarcar os direitos de exploração dos países ibéricos, tendo como elemento propulsor o
desenvolvimento da expansão comercial marítima.

b)       estimular a consolidação do reino português, por meio da exploração das especiarias africanas
e da formação do exército nacional.

c)        impor a reserva de mercado metropolitano, por meio da criação de um sistema de monopó­
lios que atingia todas as riquezas coloniais.

d)       reconhecer a transferência do eixo do comércio mundial do Mediterrâneo para o Atlântico,
depois das expedições de Vasco da Gama às índias.

e)reconhecer a hegemonia anglo-francesa sobre a exploração colonial, após a destruição da
Invencível Armada de Filipe II, da Espanha.

 9 (ESAL) “Gostaria que espanhóis e portugueses mostrassem onde está o testamento de Adão,
que dividiu o mundo entre Portugal e Espanha.”

Essa frase mostra o descontentamento do rei francês, Francisco I, com:

a)            o comércio das especiarias.

b)           as expedições de reconhecimento das terras portuguesas e espanholas.

c)            a situação geográfica privilegiada de Portugal e Espanha.

d)           o tratado de Tordesilhas.

e)            as viagens marítimas européias.

10  (UFES) Entre as causas da expansão marítima só não se situa:

a)        a ascensão socioeconômica da burguesia.

b)   a necessidade de se romper o monopólio que as republiquetas italianas exerciam no Mediter­
râneo, em torno das especiarias.

c)        o surto florescente do comércio.

d)   a necessidade de implantação de novas frentes de consumo, sob a forma de colônias.

e)        a evolução náutica.

 

11  (ESAL) Foram razões importantes que permitiram a Portugal desempenhar um papel pioneiro
na expansão marítima do século XV, exceto:

a)        Portugal era um ponto de escala para os navios italianos que se dirigiam ao mar do Norte e,
por esta razão, desenvolveu um grupo numeroso de comerciantes de intermediação que logo
puderam, eles próprios, navegar até as cidades italianas e o mar do Norte.

b)       a crise da mão-de-obra na agricultura portuguesa levou a Coroa a organizar expedições de
exploração ao litoral africano em busca de mão-de-obra escrava.

c)        a deficiência na agricultura levou os portugueses, desde os primeiros tempos de sua história,
a buscar sua subsistência na pesca marítima.

d)   a Escola de Sagres, centro de estudos náuticos, era ponto de partida para várias expedições ao
litoral africano.

e)        a unificação política e a centralização do Estado foram conseguidas precocemente, em relação
aos demais países europeus, permitindo a Portugal organizar e garantir o empreendimento
marítimo.

 12 (FURG) Em relação ao tratado de Tordesilhas, podemos afirmar que

a)        o tratado foi legitimado pelo Papa Alexandre VI.

b)   o tratado foi assinado no século XVI.

c)        o Brasil já havia sido descoberto quando de sua assinatura.

d)       foi um tratado definidor da divisão entre franceses e portugueses das terras a serem descober­
tas no oceano Atlântico.

e)        nenhuma resposta está correta.

13 - Sobre o descobrimento, podemos dizer que:

a)        foi um acontecimento casual, uma vez que a burguesia européia não cogitava expandir-se.

b)       havia interesse de Portugal em chegar ao Brasil e iniciar imediatamente sua colonização.

c)        foi fruto da expansão ultramarina realizada pela burguesia européia, marcando uma etapa do
desenvolvimento comercial europeu.

d)   não se sabia da existência de terras nessa região, o que comprova a casualidade do fato.

e)        nenhuma das anteriores.

Exercícios de revisão

1.   O Plano de Metas de JKera sintetizado no “slogan”:

a)    (        ) Rumo à Brasília,

b)    {        ) Cinqüenta anos em cinco.

c)     {        ) Rumo ao Planaiio Ceniral.

d)    (        ) Governar è construir estradas.

e)    (        ) Uma nova capital para o Brasil. 

2.   Os opositores de Juscelino o denunciavam como
“entreguista” porque:

a)     {        )   Propôs  a  criação  da  Organização  Pan-
Americana.

b)     (       ) Rompeu com Fundo Monetário Internacional.

c)      (        ) Criou condições favoráveis para a instalação
da multinacionais no Brasil,

d)     (        )     Criou     o     Banco     Nacional     para     o
Desenvolvimento Econômico.

3.   Ao período do governo de Juscelino Kubiischek,
denominamos desenvolvimentista, pois caracterizou-
se:

a)     (       )    Estagnação    econômica    da    produção
industrial brasileira.

b)     (        )    Estabilização   econômica   da   produção
industrial brasileira.

c)      (        )   Grande   desenvolvimento   econômico   da
produção  brasileira,  notadamerile  na  atividade  d«
indústria de base.

d)     (       ) Grande recuperação da economia brasileira,
com o desenvolvimento das indústrias tradicionais
(alimentos e   têxteis)

e)     (        )   Grande   desenvolvimento   da   economia
brasileira, com o desenvolvimento das indústrias de
bens de consumo,

mas que acabou por gerar grande dependência ao capital multinacional.

4.        Entre      as      conseqüências      da      política
desenvolvimentista adotada por JK temos:

a)     (        ) Baixos índices inflacionários, ampliação dos
empregos   disponíveis   e   estabilização   da   dívida
oxtama.

b)     (       ) Altos índices inflacionários, diminuição dos
empregos disponíveis e ampiiação da dívida exierna.

c)      (        ) Baixos índices irifiacionários, diminuição dos
empregos disponíveis e ampliação da dívida externa.

d)     (        ) Altos índices inflacionários, ampliação dos
empregos disponíveis e ampliação da dívida externa.

e)     (       ) Altos índices Inflacionários, ampliação dos
empregos disponíveis e diminuição da dívida externa.

5.  “Varre, varre, varre vassourinha

Varre, varre a bandalheira Que o povo já está cansado De sofrer dessa maneira

Jânio    Quadros    é    a    esperança    deste    povo abandonado”.

Este era o jingle da propaganda de Jânio nas eleições de 1960. De acordo com sua Intençflo, a vassouro era o símbolo que ia servir, principalmente, para:

a) ( } Retirar de vez os militares da vida política brasileira.

 

 

b)     (        )  Expulsar os capitalistas estrangeiros que
atuavam no Brasil.

c)  (       ) Acabar com a corrupção,

d)     (       ) Expulsar os comunistas do Brasil.

e)     {        ) Promover a limpeza do Congresso Nacional,

6.  Entre as medidas adotadas por Jânio Quadros para
conter a desestabifeacão econômica encontrada no
Inicio do sou yovorno tomos:

a)     (        ) Valorização da moeda cm relação ao dólar,
incremento   dos   subsídios   ao   trigo   e   ao   álcool
combustível,     descongelamento dos salários, política
emíssíonísta de dinheiro e de crédito aos empresários.

b)     (        } Desvalorização da moeda em relação ao
dólar,  corte  dos  subsídios  ao  trigo  e  à gasolina,
congelamento de                          salários, diminuição de
emissão de dinheiro e de crédito aos empresários.

c)  (        } Desvalorização da moeda em relação ao
dólar, ampliação do crédito e da emissão de moeda e
concessão de                          subsídios ao programa de
incentivo ao álcool.

d)     (        ) Desvalorização da moeda em relação ao
cJóIar, descongelamento de salários, concessão de
créditos ao                     empresariado.

e)     {        ) Valorização da moeda em relação ao dólar,
coilo cios subsídios ao tríyo c ti ynsolina, corrç}«li»inBfilo
de salários, diminuição de emissão de
dinheiro e de crédito aos empresários.

7.    Para contentar os setores nacionalistas, Jânio
Quadros,  utilizou uma  ação mais independente na
política  internacional.   Entre  essas  ações  podemos
destacar:

a)     (        ) Aproximação com os EUA e o FMI – o que
acabou por descontentar a burguesia industriai,

b)     (        ) Afastamento dos países socialistas e dos
grupos multinacionais americanos e europeus o que o
levou ao isolamento internacional.

c)      (         )    Aproximação    dos    países    europeus
Inglaterra, França e Aíemanha – o que favoreceu suas
relações com a UDN que lhe fazia ostensiva oposição.

d)     (        )   Afastamento   dos   setores   internacionais
liberais        EUA   <J   URSO        o   quo   ,ic;il>ou   por
descontentar setores como o PTB e o PSü, coligação
partidária que o elegeu.

e)     (         ) Aproximação com os países socialistas -
Cuba, China e URSS – o que acabou por descontentar
setores como a UDN e os meios militares.

8.  Com a renúncia de Jânio Quacfros, foi implantado no
Brasil.

a)     (         ) O regime monarquista

b)  (        ) O sistema presidencialista

c)      (        ) Uma república sindical.

d) (         ) O sistema parlamentarista e) (        ) Um governo socialista.

 9.  Assinale a opção que melhor defina a Guerra Fria:
q) (       ) É aquela cujo teatro de opomcflo ?;<; Mlondo
pelo mundo inteiro.

b) (        )  Os  estados  envolvidos  lançam  mão de apenas urrw parte do seu poderio bélico

c)      (        )   É  levada  a  efeito   mediante  ações   de
natureza psicológica.

d)     (        )    Estado    de    tensão    entre    prováveis
beligerantes, que buscam se prejudicar mutuamente,
sem uma declaração formai de guerra.

e)     (        )  Ato,   atitude,   notícia  com  que  se  busca
sobressaltar o adversário, para dobra-lo ou vence-lo
com maior facilidade.

10, Com exceção de uma, as opções apresentam de modo correto conflitos em quo os Eelndoa Unidos dn América, de um lado, e a União Soviética e/ou a China, de outro, assumiram posições antagônicas, no contexto caracterizado pela Guerra Fria:

a)     (        ) Crise de Berlim (1948-49)

b)     (        ) Guerra da Coréia (1950-53)

c)      (        ) Crise do Canal de Suez (1956)
d)(        ) Crise dos Mísseis (1962)

e){        ) Guerra do Vietnã (1962-1974)

 

11. Os governos de Getúlío Vargas (1930-45/1950/54), no Brssii, de Juan Domingos Perón (1946-65), na Argentina, de Vlclor Paz Estensoros (1952/1956 -1960/640, na Bolívia, e de Lázaro Cardenas (1930/40), no México, foram alguns dos mais significativos exemplos do populismo larino-americano que se caracterizou notadamente:

a)     (       ) Pela aliança com as oligarquias rurais na luta
contra os movimentos de caráter socialista.

b)     (       ) Polo predomínio político do aolor nyrAilo
exportador em detrimento do setor industria).

c)      (        ) Pelo nacionalismo e intervenção do F.Rlado
na economia, priorizando o setor industrial.

d)     (        ) Por propostas radicais de mudança nas
estruturas     socioeconômicas,     em    oposição    ao
capitalismo intemaciona!,

e)     (        ) Por ter concedido às multinacionais papel
estratégico nos setores agrário e industriai.

 

U- Responda com sentenças completas:

1.    Quais os efeitos sócio-econômicos do nacional-desenvolvimentismo?

2.    Relacione a Guerra Fria com o a política desenvolvimentista e populista na América Latina entre o final dos anos 40 e anos 60

 

 

 

3.O DIA EM QUE A GUERRA FRIA CHEGOU A LUA

 

“Casa Branca, 21 de novembro de 1962, Na sala de reunião, dez pessoas ouviam o então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennsdy. Entre elas, o diretor-geral da Nasa •= a agência espacial americana. (…) O motivo da reunião: a corrida espacial. Kennedy queria da Nasa mais empenho para que os americanos chegassem antes dos soviéticos à Lua. Pela primeira vez, o governo dos EUA dizia abertamente que a ida à Lua não era uma das prioridades do progiamn espacial, mas a prioridade. E mais, não era um problema de ciência, mas de política.” (Jornal do Brasil, ?5/08/2001)

A) Caracterize a Guerra Fria.

 B) Aponte um fato histórico ocorrido na América, no início dos anos 60, que exemplifique a inclusão deste continente no contexto da Guerra Fria.

Bem-vindos

Olá, bem-vindos ao blog de História do Colégio Ressurreição Tijuca!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.